Documentário Toxic Amazônia trata de assassinato de ambientalistas no Pará

Assim como a Irmã Dorothy Stang, o casal Zé Claudio e Maria representa um símbolo de resistência e defesa da floresta.

O filme Toxic Amazônia, trata sobre a investigação do assassinato no Pará dos ambientalistas José Cláudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo, ganhadores do prêmio Herói da Floresta concedido pela ONU em 2012. O documentário adentra sobre as questões que envolvem a questão extrativista na região.

No dia 24 de maio de 2011, mesmo dia em que deputados federais aprovaram, em Brasília, o Código Florestal – lei que coloca em risco as florestas e legaliza desmates – o casal de ambientalistas José Cláudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo foi executado perto do assentamento em que viviam em Nova Ipixuna, no Estado do Pará.

Um mês depois a Vice Media Inc., produtora do Toxic Amazônia, foi para Marabá, cidade natal do castanheiro Zé Cláudio, onde acompanhou a investigação do caso, seguiu os agentes do Ibama numa operação cinematográfica em que madeireiras ilegais foram fechadas, visitou um acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), conheceu escravos foragidos e comprovou a violência que permeia a cidade, também chamada de Marabala (uma expressão que mistura as palavras Marabá e bala).

Assim como a Irmã Dorothy Stang, o casal Zé Claudio e Maria representa um símbolo de resistência e defesa da floresta. Como ativistas, os assassinados chegaram a receber várias ameaças de morte e comunicar o fato às autoridades locais, sem que nada fosse feito para impedir as mortes.

 

escrito por

O autor não acrescentou qualquer informação a seu perfil ainda.

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um Comentário

Pryzant Deisgn

Slider by webdesign